De acordo com dados referentes a 2018, Celorico de Basto lidera o ranking nacional referente à diferença entre o salário mínimo nacional e a remuneração base média mensal dos trabalhadores por conta de outrem, ou melhor dizendo, é o concelho onde esta diferença é menor.
Em 2018, o salário mínimo cifrava-se nos 580€, ou seja, a remuneração base média mensal rondava os 663€. Estes dados não surpreendem quando, em boa verdade, somos o 3º concelho mais pobre do país e a relação entre estas duas variáveis tem que fazer o seu sentido. A análise que deve ser feita a estes dados passa por retratar que, em média, os salários praticados no nosso concelho são muito pouco atrativos e muito próximos do salário mínimo nacional.
Desta forma, podemos afirmar, com revolta, que somos o concelho de Portugal com piores salários. Por sua vez, as empresas não conseguem pagar bons salários, uma vez que há falhas estruturais na economia celoricense e na região de Basto. Cabeceiras e Mondim surgem, respetivamente, na 2ª e 5ª posição deste ranking.
Daqui surgem as dificuldades em fixar os nossos jovens formados (muitos deles, nas melhores faculdades do país), em atrair de volta as famílias celoricenses que foram em busca de melhores condições, em garantir um nível de vida digno aos idosos e famílias que vivem no limiar da pobreza, em estimular a competitividade no comércio e empresas locais, entre tantos outros aspetos.
Celorico precisa de uma mudança para o bem do seu povo.
Celorico é para todos.
Fonte: PORDATA

Ver Fonte